Buscar

Perlita para cultivo agrícola: um substrato ideal

Atualizado: Set 15

por Adriano Edson Trevizan Delazeri

(Consultor e fundador da Hidroponic Consultoria - Consultoria em Hidroponia e cultivo protegido em substrato - www.hidroponic.com.br)



Todo produtor tem a própria composição de substrato, alguns quase como uma fórmula secreta - tanto deste material, tanto daquele, misturado desta forma... e assim por diante. Notamos que as características dos materiais puros ou em mistura variam bastante. Então, uma mistura de materiais pode melhorar ou piorar a qualidade do substrato.

O mercado está inundado de opções de diversos fabricantes, em que cada empresa possui vários tipos e misturas, para os mais variados cultivos. Dos mais comuns, temos: casca de arroz e árvores, fibra de coco, perlita expandida, turfa e misturas comerciais. Adaptações em sistemas agrícolas fazem parte do dia a dia do produtor.

Não faz muito tempo, o produtor utilizava a mesma composição de substrato por anos. Mas, com o nível de informação que temos hoje e o medo de perder espaço no mercado, o agricultor é levado à busca constante do "substrato perfeito". Tenho observado que a escolha do substrato por produtores, em geral, está mais relacionada a indicações de colegas e propaganda do que diretamente às características do substrato e à sua interação com a cultura.

Mesmo o produtor conhecendo as necessidade da cultura que deseja produzir, essas características não têm sido levadas em conta na hora da escolha.




Cultivo Protegido


Quando falamos de cultivo em substrato, quase 100% das vezes ele está relacionado ao cultivo protegido, em estufa ou telados, com fertirrigação. Nesses sistemas, deseja-se a maximização do resultado: elevada produção, mínima utilização de substrato, pouco uso de adubação e máximo aproveitamento do espaço e da iluminação.

Vamos enumerar dez critérios importantes na escolha do substrato adequado a diversos tipos de cultura, mas existem outros. Poderíamos ressaltaram primeiramente o custo, fator decisivo na escolha do substrato; contudo, existem outros relacionados e às suas características físico-químicas.


Prefiro relacionar tais características da seguinte forma:

  1. Reter a umidade;

  2. Permitir um bom arejamento;

  3. Possuir boa estabilidade física;

  4. Ser quimicamente e biologicamente inerte;

  5. Ter boa drenagem e capilaridade;

  6. Ser leve e de baixo custo;

  7. Estar disponível.


O substrato deve reter umidade, obviamente; todavia, o quanto de umidade que esse produto pode reter é uma informação importante, pois, a partir dela, podemos determinar a quantidade e o número de irrigações a ser realizadas durante o período de cultivo. Esse dado também nos mostra a quantidade de água ou adubo dissolvido que teremos à disposição da cultura.




Informação é essencial


Arejamento é a capacidade de reter ar dentro do substrato. Desejamos que as partículas que compõem o substrato gerem espaços dentro dele, "armazenado ar". A relação entre a quantidade de água e ar retida no substrato está, para mim, entre as características mais importantes.

No entanto, note que, quanto menores são a altura do substrato e a profundidade da bandeja, vaso ou slab, maior será a quantidade de água retida e menor o arejamento. A seguir, veremos uma tabela que relaciona essas características a alguns substratos:


Ao observar a tabela, percebemos que, tirando o cascalho, a areia e a casca de arroz crua, todos os demais relacionados têm boas características, com destaque para a perlita expandida, que apresenta os melhores valores. Entre os vários substratos que utilizo, a perlita pura ou em mistura tem incorporado ao substrato vantagens importantes.

De fato, a perlita expandida é um mineral de origem vulcânica, que, expandido através do calor, resulta num produto leve e branco, em forma de grãos. Quando a perlita moída é aquecida a mais de 900 ºC, ela se expande (de quatro a 20 vezes em relação ao seu volume original) de maneira similar à pipoca.

A água contida na perlita se evapora durante o processo de aquecimento, formando uma infinidade de pequenas bolhas de ar seladas e conectadas entre si. Essas bolhas são responsáveis pelo baixo peso e por excelentes propriedades físicas da perlita.




Estabilidade


O substrato deve ter estabilidade física, química e ser biologicamente inerte. Durante o ciclo de nossa cultura, desejamos que decomposição da mistura não provoque compactação e perda da capacidade de armazenamento de água e ar. O uso de casca de arroz queimada ou materiais orgânicos é o que seguidamente acontece. Essa decomposição pode provocar a liberação de substâncias, o que poderia ser desastroso para o rendimento da cultura; logo, a estabilidade química é essencial.


Esses produtos não devem trazer para a cultura pragas e doenças, ou seja, precisam ter procedência conhecida e controlada.


É necessário que eles tenham, ainda, boa drenagem e alta capilaridade, pois a primeira permite que, logo após a aplicação da fertirrigação, rapidamente o excesso de adubação seja liberado do substrato, equilibrando umidade, ar e salinidade.

Durante o ciclo do cultivo, notamos que algumas partes do bolo de substrato que utilizamos, no vaso ou slab, tendem a ficar secas, resultado da baixa capilaridade e da capacidade de difundir a água/adubo líquida por todo o material. Podemos ter, ainda, substratos como a turfa que, quando secam, fica difícil fazer com que eles absorvam e retenham umidade.

Essas áreas secas comprometem o desenvolvimento radicular e diminuem a capacidade de armazenamento de adubo, no volume do recipiente utilizado para cultivo.





Vantagens da perlita


De todos os materiais que conheço, a perlita expandida é o único que tem todas as características citadas: drenagem; capilaridade; estável química e fisicamente, não esfarelando nem se decompondo durante os sucessivos cultivos; e inerte biologicamente, uma vez que, quando aquecido a 900 ºC, fica asséptico.

O uso da perlita em misturas de substratos para diversas aplicações aumenta a quantidade de água (adubo líquido), ar. Disponível para a cultura, ela permite uma germinação rápida e um perfeito desenvolvimento da planta, já que possui a capacidade de manter níveis ótimos de temperatura e umidade enquanto proporciona uma adequada drenagem. Além disso, a capacidade de aderência nas raízes reduz o impacto do transplante.

Dada sua capacidade de isolamento térmico, a perlita é ideal para cobrir as sementes, especialmente em áreas expostas ao sol e a altas temperaturas. Pode ser utilizada para substituir total ou parcialmente materiais em misturas dos substratos.

Ao incluí-la no sistema, a perlita melhora as características físicas das misturas, oferecendo resistência à compactação, suficiente infiltração para drenas as chuvas e maior resistência às secas.

A perlita fornece um elevado graus de porosidade com ar, estabilidade física, esterilidade e grande capacidade de absorver água sem se saturar e reter umidade por extenso per[iodo de tempo, podendo ser utilizada sem nenhum tipo de preparo. É, ainda, um material bastante leve fácil de ser encontrado.

Com isso, a adição, em volume, de 20% de perlita, traz (e impõe) para ter mistura de substrato as suas características; por isso, podemos chamá-la de condicionador de substrato.




Preço

A última questão a ser observada é o preço. Na escolha de um substrato, devemos optar por materiais que encontramos nas proximidades de nossa propriedade/estufa, o que diminui consideravelmente o valor, pois o frete é o item que mais onera os custos dos substratos.

Algumas vezes, eles são praticamente "de graça", mas não têm as características que buscamos; por isso, citei extensivamente a perlita. Em todos os projetos que acompanho, a melhor solução custo-benefício foi utilizá-la na produção de mudas em bandejas, vasos e slabs. Sua adição na mistura padroniza o substrato, resultando num produto barato e com grandes qualidade.

15 visualizações
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon